marca_viva_hauz_branco.png

MDF ou MDP?

 

 

Se você está procurando móveis para sua casa, com certeza já deve ter ouvido falar sobre MDF e MDP. Muita gente opta por usar MDF por acreditar que o MDP tenha uma qualidade inferior.

Mas será que isso é verdade mesmo? Qual a diferença real de um para o outro? E a pergunta mais importante, qual escolher na hora de fazer seus móveis?

As duas placas são produzidas pelo mesmo material: madeiras pinus e eucaliptos e são obtidas através da prensagem e extração de fibras de madeiras.  Até aí, as duas são exatamente iguais, o que muda é basicamente a densidade das suas partículas. O MDP (Medium Density Fiberboard – Chapa de fibra de média densidade)  é feito de partículas de madeira aglutinadas em duas camadas finas enquanto o MDF (Medium Density Particleboard – Painel de Partículas de Média Densidade) é feito a partir de placas de fibra de madeira coladas uma na outra. Além disso, ambas tem uma limitação de uso especifica. Enquanto o MDF é maleável e permite a formação de curvas e formas mais complexas, o MDP tem mais limitações quanto a isso, sendo utilizado na maioria das vezes para prateleiras, portas e armários em linha reta. Na fabricação, ambos são prensados na temperatura média de 200°C, fazendo com que todos os insetos sejam completamente exterminados, inclusive os cupins.

Os painéis de MDF são extremamente resistentes com a superfície menos porosa, permitindo um bom acabamento para pinturas. Ideais para mobiliário, molduras e revestimentos. Porem, o MDF tende a ser mais caro que o MDP. O MDF é equivalente a madeira nas possibilidades de se trabalhar com a matéria-prima. Por não possuir orientação das fibras, suas superfícies são perfeitamente homogêneas, o que permite fazer cortes em qualquer sentido.

Já o MDP é amplamente utilizado na fabricação de mobiliário, tanto para casas como para comércios. São muito utilizados em portas, gavetas e prateleiras. Não são tão densas quanto as placas de MDF possuem uma resistência a arranchamento de parafusos e inchamento. Portando, o MDP é vantajoso para montagem/desmontagem.

Outra diferença entre os materiais é na hora da pintura: O MDP tem uma alta absorção de tintas no acabamento final, coisa que o MDF não tem, fazendo que o MDP se torne uma melhor escolha dependendo do acabamento. Contudo, o MDF é mais vantajoso quando falamos de laca por serem mais homogêneas e sem irregularidades na superfície. Essa característica influencia no custo-benefício das placas. Para uso na parte externa da casa, madeiras com menos poros tem menos absorção e assim, o custo com tintas é menos. Já para o uso interno, o MDP é mais rendável por permitir uma ótima colagem e de custo bem menor.

Ambos os materiais são resistentes a umidade mas não são a prova d’agua. Contudo, podem ser utilizados em cozinhas e banheiros, desde que, estejam com o revestimento adequado em toda sua superfície e bordas.

Os dois matérias tem suas peculiaridades e são excelentes, desde que sejam utilizados de forma correta. Para a parte externa, aonde o design do móvel tende a ter curvas e formas arredondadas, o MDF é ideal. Mas, para o uso interno, o MDP fica na melhor opção, já que o mesmo pode ser montado e desmontado sem prejudicar o móvel e ainda possui uma colagem melhor e mais rentável.

Sendo assim, o jeito é acertar a combinação dos dois materiais. Assim, pode baratear o móvel sem abrir mão da qualidade e nem da estética.

10 vantagens MDP

  1. Menor impacto na natureza, pois para sua fabricação é necessário menos árvores em relação ao MDF;
  2. Maior resistência estável (empenamento) por sua composição estrutural;
  3. Tendência mundial, na Europa 80% do mobiliário produzido é em MDP, as marcas mais conceituadas de planejados adotam essa matéria-prima como principal produto;
  4. Produto desenvolvido para aplicação em peças retilíneas como portas, bases, laterais e prateleiras revestidas em melamina (BP) sem a necessidade de pintura;
  5. O MDP é produzido segundo critérios de qualidade da norma NBR- 14810-1 (ABNT, 2006);
  6. Matéria-prima adequada para atender ao conceito do mobiliário contemporâneo – retilíneo;
  7. Possui ótimo desempenho com sistemas de fixação
  8. Custo do produto menor, com mesmo aspecto do produto final em relação ao MDF;
  9. Desempenho superior com agentes de união (cola) por sua composição estrutural;
  10.  O MDP pertence a uma nova geração de painéis com características superiores e totalmente distintas dos painéis de madeira aglomerada de antigamente.

 

 

mdfxmdp_002.jpg